UPAs têm o menor índice de mortalidade nos últimos três anos

Entre 2016 e 2019 houve uma redução de 34,8% dos casos que evoluíram para óbito dentro das Unidades de Pronto-Atendimento
Nesta terça-feira (3), o Secretário de Saúde, Thiago Stefanello, apresentou dados que comprovam a eficiência do corpo técnico e de servidores das Unidades de Pronto Atendimento. Os números foram divulgados durante a primeira edição deste ano da Escola de Governo da Prefeitura de Cascavel.

De acordo com o levantamento elaborado pela Divisão de Atenção às Urgências (DAU) e a Divisão de Informações e Planejamento em Saúde (DIPS), entre 2016 e 2019 houve uma redução de 34,8% dos casos que evoluíram para óbito dentro das Unidades de Pronto-Atendimento. No entanto, quando comparado com o número de atendimentos prestados anualmente, o índice de mortalidade não ultrapassa a 0,5%.

Para se ter ideia, em 2016, 194.175 pessoas foram atendidas por meio de consultas médicas nas UPAS. Naquele ano, 286 pessoas evoluíram para óbito – o que representa 0,14% do número total de atendimentos.  Já em 2019, os atendimentos saltaram para 285.072, sendo que 183 pessoas morreram.

Assim, o ano passado o índice de mortalidade na comparação com o total de pessoas atendidas foi o menor da história: 0,06%. “As estruturas das UPAS é praticamente as mesmas e ainda assim estamos sendo eficientes no atendimento graças ao corpo técnico de médicos, enfermeiros e servidores”, enalteceu o secretário

As UPAS têm atendimento “três em um”, ou seja, são pacientes internados aguardando por leito de hospital na rede estadual, o suporte de urgência para as ambulâncias e as consultas por classificação de risco. “As unidades de pronto-atendimento em Cascavel são a principal porta da região e isso também justifica a alta demanda diária”, destacou Tiago.

 Alta demanda nas UPAS por causa da dengue

O secretário Thiago Stefanello informou sobre o atendimento oferecido pelas UPAS por causa do surto de dengue. De acordo com ele, entre fevereiro e março deste ano, o número de pessoas que chegam às unidades ultrapassam a casa de 850 consultas por dia. “Os procedimentos feitos nas UPAS pelos enfermeiros e pelo serviço social chegam a 1.165 procedimentos diários, o que mostra que a saúde em Cascavel é prioridade”,  finalizou Tiago.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *