Saúde física e social com o Programa Agricultura Urbana

Foto: Asscom/PMC

Dez entidades assistidas pela Seaso (Secretaria Municipal de Assistência Social) foram beneficiadas pelas hortaliças e legumes distribuídos pelo Território Cidadão

O dia hoje (12) foi de colheita e entrega de verduras e legumes a entidades assistenciais mantidas pelo Município através da Seaso (Secretaria Municipal de Assistência Social). O programa Território Cidadão, através do premiado Programa Agricultura Urbana, fez a entrega das hortaliças para entidades que fazem o atendimento a pessoas em situação de vulnerabilidade social. A entrega começou às 10h, na Casa Pop, localizada no bairro Santa Felicidade. Ao todo foram  beneficiadas 10 entidades: CCI  Morumbi, Centro da Juventude, Residência Inclusiva I e II, Casa Pop, Casa de Passagem- adolescentes, Eureca II, Abrigo de mulheres, CCi do bairro Cascavel Velho e Eureca I.

“Este programa das hortas urbanas, criado na gestão do prefeito Paranhos e que tem o Território Cidadão à frente, junto com a comunidade e associações moradores, nos possibilita oferecer às pessoas uma alimentação mais saudável, livre de agrotóxico. Isso é muito importante, pois garante a segurança alimentar da população que atendemos e vem contribuir com nosso trabalho”, disse o secretário de Assistência Social, Hudson Moresfchi Júnior, que acompanhou a distribuição das verduras e legumes que foram colhidos na horta Zilda Arns, no Bairro Interlagos.

De acordo com o gestor do Território Cidadão, José Carlos da Costa, o Cocão, a entrega de verduras e legumes para as entidades atende uma das demandas do programa Agricultura Urbana que prevê que, dentro do chamamento público ou do projeto, “as famílias que estão envolvidas possam comercializar, usufruir da produção para o próprio consumo e também atender entidades sociais. E é isto que a Copcraf, que é uma das entidades que está no chamamento público junto ao programa de produção de alimentos, está fazendo”.

Ele disse ainda que “o prefeito Paranhos foi muito feliz na implantação deste programa. Hoje, temos mais de 60 hortas implantadas dentro do Município de Cascavel, gerando renda, convívio entre as famílias e também mantendo os imóveis limpos proporcionando mais segurança às comunidades”.

Ana Laura Egewarth, coordenadora da Casa Pop, destacou a importância da iniciativa para enriquecer ainda mais a alimentação que é servida às pessoas atendidas pelo Município. “Recebemos a marmita e fazemos o complemento sempre com saladas. Recebendo um produto de qualidade, produto fresco, orgânico, nosso atendimento fica ainda muito melhor e mais completo”, disse.

Júnior Chaves Rodrigues, integrante da Copcraf, ressaltou a dinâmica do projeto. “Temos observado que os moradores dos bairros mais periféricos estão produzindo alimentos sem veneno e comercializando na própria comunidade. Além disso, a venda dos produtos cultivados na comunidade, não sofre interferência de atravessadores que subvalorizam este produto. Eles chegam à mesa dos consumidores da periferia a preços acessíveis, o que melhora a qualidade da alimentação das famílias. O apoio do Município com adubação, assistência técnica, maquinário e mudas, ajuda os produtores em um primeiro momento. Aos poucos eles se sobressaem vendendo as verduras e legumes na própria comunidade e ganhando qualidade de vida”, destacou.

O gestor do território Cidadão disse ainda que o se percebe entre as famílias é a autonomia. “Elas agora possuem renda com a venda das hortaliças e estão conseguindo sustentar o projeto com a reposição de mudas e sementes para plantios futuros. Hoje o Poder Público já colhe o resultado do programa que esta sendo sustentado pelos próprios agricultores. Eles aprenderam a pescar. Não precisamos mais dar o peixe. As famílias mudaram de comportamento, de mentalidade e outra coisa que chama atenção é o respeito que as pessoas têm com estes espaços de produção que são abertos e não há casos de vandalismo. Isso é muito bom”, comemorou.

Fonte/Asscom PMC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *