Pacientes em risco iminente de morte poderão ter leito de UTI garantido por lei

Pacientes em risco iminente de morte poderão ter leito de UTI garantido por lei

Os pacientes atendidos pelo SUS e que estejam sob risco iminente de morte poderão ser beneficiados pela garantia de leitos de UTI em Cascavel. Esse é o objetivo do Projeto de Lei nº 121/2019, apresentado pelo Poder Executivo, que “estabelece a Política Municipal de Atendimento a Pessoas em Risco Iminente de Morte e institui o PAI – Programa de Atendimento Imediato”.

Para explicar os objetivos e alcance do projeto, a Comissão de Saúde e Assistência Social (CSAS) da Câmara, formada pelos vereadores Josué de Souza (PTC), Parra (MDB) e Dr. Bocasanta (PROS), convidou o secretário de Saúde do município, Thiago Stefanello. Ele esteve em reunião com a Comissão e com assessorias de vários vereadores, na manhã desta quarta-feira (16).

Segundo ele, o objetivo do PAI é garantir a internação em UTI após esgotadas todas as tentativas na rede pública e privada, e também no sistema de regulação de leitos. Nesse caso, o Programa viabilizaria a compra de leitos a partir do primeiro além do limite de leitos já ocupados. “Por exemplo, Cascavel possui 80 leitos de UTI para adultos, somando SUS e rede privada; se estiverem todos ocupados, o PAI paga a partir do 81º leito, nunca antes disso”, explicou Stefanello.

Entre outros objetivos da política municipal a ser criada pela lei, estão os de realizar auditoria na ocupação de leitos das redes pública e privada, ampliar a humanização do atendimento de pacientes internados na UPA e suporte aos familiares, e também oferecer tratamento especial aos pacientes cujas doenças não respondam mais aos tratamentos curativos, garantindo-lhes o controle da dor e de outros sintomas.

Projeto deve ser votado logo

Atualmente, Cascavel dispõe de 82 leitos de UTI no SUS, englobando as modalidades de UTI para adultos, pediátrica, neonatal, oncológica e cardiológica. Para dar conta de atender com plenitude a macrorregião, o ideal seria que esses leitos chegassem a 153, conforme estatística apresentada pelo secretário de Saúde.

Segundo o presidente da Comissão de Saúde, vereador Josué de Souza, a intenção da comissão ao convidar o secretário era sanar o máximo de dúvidas e prestar todos os esclarecimentos aos gabinetes dos vereadores. “Esse projeto é muito importante e precisa ser aprovado o mais rápido possível, por isso queremos que essas informações evitem pedidos de vista e a nova lei seja aprovada logo”, afirmou ele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *