O SENHOR DA VINHA Mt. 21-33-44

Nesta parábola Jesus estava fazendo alusão a passagem de Is. 5:1-2, que era familiar aos líderes Judeus. A “vinha” é uma representação comum da nação judaica na escritura. Aqui o dono das terras, representando Deus, desenvolveu a vinha com muito cuidado e entregou aos lavradores, uma representação dos líderes judaicos. “Ao tempo da colheita, enviou seus servos” (v.34), eram os profetas do AT. Os v. 35-36 refletem o tratamento recebido pelos servos (profetas): foram surrados, apedrejados e mortos. Isso corresponde ao tratamento dispensado pelos governantes judaicos a muitos dos profetas do AT. (II Cr.24:20-21; 36:15-16; Ne. 9:26; Jr.2:30).

“Finalmente o proprietário, enviou-lhes o seu próprio filho” (v.37), era a figura de Cristo que foi rejeitado e morto. Por conta disso os lavradores sofreram as consequências de seus atos. O reino e todos as vantagens espirituais dadas a Israel seriam agora dados a “outros lavradores”, simbolizando a Igreja (v.43), que consiste fundamentalmente de gentios. Da Igreja, esperava-se a produção de bons frutos, no entanto, a rejeição de Deus é uma constante do ser humano e ainda hoje como indivíduos praticamos essa rejeição.

Nossas atitudes de comodismo, indiferença e falta de motivação nos tornam cristãos “mornos” descompromissados e sem vibração. E, como povo (nação), impomos o poder econômico, político e ideológico, promovendo alienação, escravidão e miséria,bem como padrões culturais e sociais, onde os diferentes são discriminados. Porém nossa esperança está no Senhor que criou o céu e a terra. “Porque ele é o nosso Deus, e nós o seu povo e rebanho que ele conduz” (Sl. 95:7). Em Cristo e somente em Cristo, está a nossa fé, esperança e salvação… (Fl. 2:9-11)

IGREJA ANGLCICANA EM CASCAVEL

Rev. Marialvo Rodrigues

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *