Demanda nas UPAs cresceu 21,8% em 2019

Unidades deveriam atender apenas pacientes de Cascavel, mas com frequência moradores de cidades vizinhas procuram atendimento médico

A demanda nas três Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) de Cascavel cresceu 21,8% em 2019, em comparação aos atendimentos realizados no ano anterior. Foram 285 mil pacientes atendidos no ano passado e 234 mil em 2018. Desde 2016, quando 194 mil pacientes foram atendidos, o aumento chega a 46,9%.

As unidades foram projetadas pensando no atendimento dos pacientes de Cascavel, mas, constantemente, pessoas de cidades vizinhas procuram por consultas médicas e, por se tratar de unidade de pronto-atendimento, o acesso não pode ser negado.

Essa demanda crescente faz com que também aumente o tempo de espera para a consulta. O secretário de Saúde, Thiago Stefanello, explica que as unidades possuem número máximo de consultórios e que, na maior pare do tempo, estão todos preenchidos. Isso significa que a simples contratação de mais médicos não é a solução. “Os  consultórios não são preenchidos na sua totalidade, somente quando ocorrem eventualidades de atestados ou, ainda, quando não há profissional disponível para realizar horas extras, uma vez que é sempre necessário para completar as escalas de maneira adequada, visto o direito dos servidores em tirar férias, licenças e até mesmo atestados”, explica o secretário.

Demanda crescente

E a demanda segue crescente em 2020. Nos últimos 10 dias, a média de pacientes atendidos nas UPAs, que era de 790 consultas/dia, está ultrapassando o número de 850 consultas diárias.

“A capacidade da estrutura é a mesma, mas o volume de atendimentos cresce consideravelmente todos os anos e, consequentemente, o tempo de espera pela consulta aumenta também”, afirma Stefanello. Nas UPAs Brasília e Veneza são três consultórios para atendimento adulto.

Além de dispor de equipes para o atendimento dos consultórios, seguindo as normas do Ministério da Saúde e por meio do Protocolo de Manchester para acolhimento e classificação de risco, que prioriza sempre os casos mais graves, as unidades precisam, ainda, dispor de equipes para acompanhar os pacientes em observação/internamento e para o suporte de emergências e atendimento às ambulâncias. “Ou seja, as UPAs são três serviços em um só lugar”, enfatiza o secretário.

UPA VENEZA

Clínica Médica Adulto

➡ Diurno: 6 clínicos das 7h – 19h

➡ Noturno: 5 clínicos das 19h – 1h

➡ Madrugada: 2 clínicos das 1h – 7h

Pediatria

➡ Diurno: 3 pediatras das 7h – 19h

➡ Noturno: 3 pediatras das 19h – 1h

➡ Madrugada: 2 pediatras das 1h – 7h

No período das 7h as 1h o número de médicos em consultórios para atendimento de consultas é três para clinica medica e dois para pediatria. Os demais médicos atuam nos internamentos e no suporte de emergência.

UPA BRASILIA

Clínica Médica – Adulto

➡ Diurno: 6 clínicos das 7h – 19h

➡ Noturno: 5 clínicos das 19h – 1h

➡ Madrugada: 2 clínicos das 1h – 7h

No período das 7h as 1h o número de médicos em consultórios para atendimento de consultas é de três para clinica medica. Os demais atendem no internamento e no suporte à emergências.

UPA TANCREDO

Clínica Médica (apenas para atendimento de ambulâncias)

➡ Diurno: 2 clínicos das 7h – 19h

➡ Noturno: 1 clínico das 19h – 1h

➡ Madrugada: 1 clínico das 1h – 7h

Pediatria

➡ Diurno: 4 clínicos das 7h – 19h

➡ Noturno: 4 clínicos das 19h – 1h

➡ Madrugada: 2 clínicos das 1h – 7h

No período das 7h às 1h, o número  de médico em consultório para atendimento de consultas é três para atendimento pediátrico. Os demais médicos atuam nos internamentos e no suporte de emergência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *