Cascavel pode ser a primeira cidade do paraná certificada pelo Sistema Estadual de Parques Tecnológicos

Foto: Assessoria de Imprensa da Prefeitura

Cascavel pode ser a primeira cidade do paraná certificada pelo Sistema Estadual de Parques Tecnológicos

A Fundetec (Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico de Cascavel) pode ser a primeira no Paraná a receber o credenciamento do Sistema Estadual de Parques Tecnológicos. A garantia foi dada nesta manhã (26) ao prefeito Leonaldo Paranhos e ao presidente da Fundação, Alcione Tadeu Gomes, pelo secretário executivo do Separtec, José Maurino de Oliveira Martins que – junto com o coordenador de Ciência e Tecnologia da Seti, Paulo Renato Parreira e do assessor da Delegacia Regional da Receita Estadual, James Vanin de Andrade – esteve na Prefeitura de Cascavel trazendo a devolutiva da visita técnica realizada ainda no mês de julho por representantes da Secretaria da Fazenda, da Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e do Sebrae, aplicando o instrumento de credenciamento provisório dos parques tecnológicos.

“A Fundetec está certificada e tem todos os requisitos para o passo definitivo, uma vez que Cascavel está estruturada para ser uma das primeiras a reivindicar este credenciamento”, explicou Maurino, lembrando que as visitas que deram origem ao processo foram pautadas nas 500 maiores experiências de parques tecnológicos do mundo. Foi criado um roteiro para avaliar os parques tecnológicos do Paraná, por meio do qual encontrou-se 18 iniciativas de parques, dentre elas a Fundetec, que é uma das pioneiras do Estado, “muito bem estruturada e focada principalmente no agronegócio, um diferencial que a faz ser referencial não apenas no Estado, mas em todo o País, como pude comprovar em recente congresso em Brasília”, detalhou Maurino.

Segundo ele, pela forma como está estruturada, juntando a universidade (pesquisa aplicada) e o setor produtivo empresarial (negócios, inovação, produtos e faturamento), a Fundetec oferece conceito ideal de parque tecnológico, com espaço físico, laboratório, empresas incubadas e pode avançar ainda mais, ampliando a participação das universidades e a presença de empresas devido ao potencial tanto da cidade como da região Oeste de buscar novos processos e produtos na área do agro.

Para chegar ao certificado definitivo, a Fundetec já tem o planejamento em andamento e trabalha o plano de negócios, segundo o presidente Alcione Tadeu Gomes. Falta avançar em parcerias e na relação com parques internacionais para fortalecer projetos, negócios e ampliar a presença de universidades dentro do parque visando a futuras relações internacionais. “Queremos fazer missões e avançar fronteiras, levando o parque para outros lugares do Brasil  e do mundo”.

Fomento e assessoria técnica

Para chegar ao certificado definitivo a Fundação continuará contando com o apoio do governo estadual, que quer transformar o Paraná em um Estado inovador, fazendo com que os Parques Tecnológicos se apresentem como um ambiente favorável de apoio ao fortalecimento da competitividade das empresas, com ações voltadas à inovação e à disseminação do conhecimento, por meio da interação entre empresas, universidades e centros de pesquisa.

E, para isso, o Separtec se propõe a ser o articulador e promotor das interações entre esses atores, prestando assessoria para todas para alcançar o credenciamento definitivo e, ainda, facilitando acesso à política de incentivo e fomento para compra de equipamentos, estruturação de laboratórios e recursos por meio do Banco Mundial.

“Juntando todas as 18 experiências, iremos avançar, pois cada uma está numa etapa. Duas em fase de reestruturação; sete (dentre elas a Fundetec, em fase de operação) e nove em fase de planejamento e implantação, que irão aprender com as experiências que já estão caminhando há mais tempo”, detalhou Maurino.

“Para a Fundetec, o apoio do governo do Estado auxilia e amplia em muito as possibilidades de internacionalização e fechamento de acordos e implantação de industrias potencialmente “âncoras” para o parque e, poder contar com assessoria técnica para ampliar o escopo de serviços, é de vital importância para o crescimento da Fundetec e do Parque de Agroinovação”, finalizou o presidente da Fundação, Alcione Gomes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *