Cascavel passa a contar com serviço de compartilhamento de bicicletas

Concorrência pública para permissão de uso e operação do serviço em nossa cidade foi realizada na ultima tarde (10) na Prefeitura

A nossa cidade contará, em breve, com mais uma novidade. Trata-se da implantação de estações para uso compartilhado de bicicletas, uma nova opção de mobilidade urbana adotada em grandes centros como meio de transporte público acessível, barato e sustentável, além de ser uma opção de lazer e de atividade física. A primeira concorrência pública para permissão de uso da área pública e do mobiliário urbano para implantar o serviço foi realizada nesta tarde (10) no Departamento de Gestão de Compras da Prefeitura de Cascavel, pelo critério “maior oferta”.

A empresa cascavelense Mobhis Automação Urbana Ltda participou do certame, apresentou toda documentação solicitada e foi declarada habilitada pela comissão de licitação; na sequência, abrindo-se a proposta comercial de operação do sistema, a habilitada ofereceu percentual de 3,26% sobre o valor do faturamento bruto mensal, a ser pago a título de licença pela atividade no espaço público, ficando acima do edital de licitação (valor mínimo de 3%). Aberto prazo recursal legal de cinco dias úteis e caso o processo transcorra dentro da normalidade, o contrato poderá ser assinado nas próximas semanas, pelo prazo mínimo de 120 meses.

De acordo com o secretário de Planejamento e Gestão, Edson Zorek, a operadora deverá implantar uma rede mínima inicial de oito estações na cidade, com 56 bicicletas, que ficarão disponíveis para locação diariamente, no horário das 6 às 22 horas, sendo permitida a devolução dos equipamentos até as 23h59, via aplicativo. Será possível optar por locações de até 24 horas, semanais ou mensais, a custos acessíveis, cujos valores serão apresentados pela vencedora ao Município.

Segundo Zorek, o Município optou pela concorrência pública como uma forma de estimular o uso da bicicleta como meio de utilização das novas ciclovias e ciclofaixas da cidade não apenas para o lazer, mas também como meio de transporte e até mesmo instrumento de trabalho. “É também um meio sustentável, não polui o meio ambiente, além de estimular a saúde e qualidade de vida”, acrescentou.

As estações serão instaladas em pontos estratégicos, dentre eles Catedral, Lago Municipal; Prefeitura; terminais de transbordo, principais avenidas com ciclovias (Brasil e Tancredo Neves).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *