Audiência pública propõe caminhos para melhorar qualidade e paz no trânsito de Cascavel

Foto: Flávio Ulsenheimer/ Assessoria CMC

Uma audiência pública realizada na manhã do dia (29) na Câmara Municipal de Cascavel definiu uma série de encaminhamentos como alternativas para se construir um trânsito mais seguro em Cascavel. A audiência, com o tema “Paz no trânsito é a gente que faz”, reuniu representantes de pelas 16 entidades da sociedade civil organizada, desde os órgãos de segurança e de saúde a associações de autoescolas e de revendedores de motocicletas e sindicatos de trabalhadores ligados à área.

“Cascavel tem hoje 240 mil veículos licenciados. Temos uma boa estrutura de ruas e avenidas, uma engenharia de trânsito que contempla a demanda. As ruas onde mais ocorrem acidentes, como a avenida Brasil e a rua Paraná, tem sinalização vertical e horizontal, semáforos em números suficientes. Então o que falta? Porque tantos acidentes? A resposta nos parece clara, precisamos investir em educação, precisamos todos nos responsabilizar pela construção de um ambiente mais seguro e humano no trânsito de Cascavel, respeitando as leis e, principalmente, a vida”, discursou o vereador e presidente da Câmara de Cascavel, Alécio Espínola (PSC), que propôs a audiência com o apoio de 14 vereadores.

A proposta de Alécio Espínola foi apoiada pelos vereadores Policial Madril (PMB), Cabral (PDT), Mazutti (PSL), Fernando Hallberg (PDT), Carlinhos Oliveira (PSC), Misael Junior (PSC), Serginho Ribeiro (PDT), Josué de Souza (PTC), Paulo Porto (PCdoB), Parra (MDB), Nadir Lovera (Avante), Olavo Santos (Podemos) e Rafael Brugnerotto (PSB).

Para fundamentar os debates e os encaminhamentos, quatro exposições técnicas foram realizadas na abertura da audiência. A primeira foi Luciane Ribeiro dos Santos de Moura, coordenadora de educação de trânsito da Cettrans; seguida pela apresentação do major Amarildo Roberto Ribeiro, subcomandante do 4º. Grupamento de Bombeiros e coordenador do Comitê de trânsito de Cascavel (Cotrans); do diretor da 10ª Regional de Saúde, João Gabriel Avanci e do médico Allan Cesar Faria de Araújo, do Hospital Universitário do Oeste do Paraná (HUOP). A última exposição técnica feita para fundamentar o debate foi da diretora de vigilância em Saúde, da Secretaria Municipal de Saúde, Beatriz Tambosi, que esteve acompanhada de Minaya Ellen Chimanski, gerente da divisão de atenção às urgências, responsável pelas UPAs.

Ainda compuseram a mesa de trabalhos da audiência pública, além dos vereadores Alécio Espínola, Paulo Porto e Policial Madril, e dos expositores técnicos, Pedro Silvério, diretor do Detran Cascavel; Everton Klauss, Superintendente da 15º SDP; Antonio Volmei dos Santos, o chefe da Guarda Municipal; o tenente Wellinton Miqueias Bastos, do Pelotão de Polícia de Trânsito; o inspetor Gradin, da Policia Rodoviária Federal; Aníbal Mantovani, novo diretor geral da Unioeste; Cláudio José Marcon, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Cascavel (Sitrovel); Nelson Mendes de Borba, presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Transporte Coletivo Urbano de Cascavel (Sintracovel); José Peixoto da Silva Neto, diretor do Consamu; Vilmar Miller, da Associação das Auto Escolas de Cascavel; Nelson Casarotto, da Associação Comercial e Industrial de Cascavel (Acic); e Fernando Felipe Batista, representando as concessionárias de revenda de motos em Cascavel.

ENCAMINHAMENTOS

Depois de praticamente duas horas e meia de exposições técnicas e participação dos representantes das entidades e plateia presentes, a audiência pública votou e aprovou nove encaminhamentos, decorrentes dos debates realizados. São eles:

  1. Encaminhamento à CETTRANS/Transitar para que instale placas de conscientização nos dez pontos onde mais ocorrem acidentes na cidade;
  2. Promover estudos para elaborar Projeto de Lei criando a campanha “paz no trânsito é a gente que faz”, com o objetivo de trazer, além de ações de conscientização, determinar a obrigação das revendas de veículos e/ou despachantes informem às autoridades de trânsito municipal acerca das novas aquisições/proprietários, se os compradores têm ou não a carta de habilitação, a fim de que possam ser incluídos em programa de conscientização elaborado pelo Município.
  3. Encaminhamento ao Município para que viabilize em todos os eventos públicos a exibição de vídeos educativos e de conscientização sobre os perigos do trânsito.
  4. Encaminhamento ao Município para que aumente o valor previsto no orçamento público voltado à conscientização dos motoristas de Cascavel.
  5. Indicação para que o Poder Executivo libere o uso dos corredores destinados aos ônibus do transporte coletivo somente aos carros oficiais da segurança pública e da saúde, sendo vedado a veículos de transporte particular, como taxis e moto entregadores.
  6. Encaminhamento ao Poder Executivo para que aumente o número de radares fiscalizatórios no Município, com a devida sinalização, bem como para o aumento de número de agentes de trânsito, vez que a fiscalização é ostensiva.
  7. Encaminhamento ao Governo Federal para que mantenha a fiscalização nas rodovias federais por meio de radares, pois, após a retirada dos mesmos, o número de acidentes está aumentando.
  8. Estudos para implantação do projeto CNH Social em Cascavel;
  9. Encaminhamento à Cettrans e ao Detran/PR para que criem programa de educação aos cidadãos, no formato dos cursos de reciclagem, a ser destinado a grupos interessados, como funcionários de empresas, escolas e universidades, entre outros.

Texto Via/Asscom da Câmara Municipal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *