Alerta: Casos de dengue disparam e chegam a 140 confirmados

Até a semana passada, eram 85 casos, ou seja, um aumento de 64% em 7 dias

Apesar dos esforços da Secretaria de Saúde em combater o mosquito da dengue em Cascavel, os números mais uma vez não são nada animadores. De acordo com o novo Boletim Epidemiológico da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), Cascavel contabiliza de julho de 2019 até esta terça-feira (18), 140 casos confirmados de dengue. Até semana passada, eram 85 casos, ou seja, em sete dias houve um aumento de 64% de confirmações de dengue no município.

Do total de 140 casos, 127 são autóctones, 5 importados e 8 atribuídos. Além disso, outros 306 casos estão em análise por serem considerados suspeitos. Vale destacar que o Município conta com alto índice de infestação de 5,2% do LIRAa (Levantamento de índice Rápido Amostral por Aedes aegypti).

Os dados apontam o que já é notório: o risco de epidemia é alto e muito alarmante. “Essa preocupação já vem sendo falada há algum tempo. Se a população não colaborar com a gente, eliminando focos e criadouros, há uma probabilidade de o Município entrar em epidemia e é o que nós não queremos. Precisamos que esses números parem de crescer”, enfatiza a diretora de Vigilância em Saúde, Beatriz Tambosi.

Segundo ela, um dos fatores para esse aumento de casos é a divulgação massiva da mídia sobre os sintomas, o que tem levado muitos cascavelenses às unidades de saúde. “A população fica mais atenta. Dessa forma, temos diagnósticos mais precisos e com mais agilidade”, pontua.

Beatriz ressalta que os agentes de Endemias têm trabalhando intensamente nos mutirões de combate à dengue. No entanto, essa luta é uma responsabilidade de todos os cidadãos, que precisam adotar cuidados diários para eliminar o vetor.

MUTIRÃO

Conforme o balanço da Vigilância em Saúde Epidemiológica de 27 de janeiro até 14 de fevereiro, já foram visitadas em Cascavel mais de 48 mil residências. No entanto, 16,5 mil vezes os agentes não puderam realizar o trabalho na hora, uma vez que não tiveram acesso aos imóveis. Ou seja, 34% das casas não foram vistoriadas, o que configura um grande entrave a toda campanha de mobilização contra o mosquito. A esperança para reverter os dados tem sido os agendamentos de vistoria. “Por favor, atendam o comunicado de agendamento para que os agentes realizem a inspeção fora do horário comercial”, apela a diretora da Vigilância em Saúde, Beatriz Tambosi.

O agendamento é simples. Quando os agentes se deparam com a casa fechada, eles deixam um aviso aos moradores para que entrem em contato e marquem uma visita. Dessa forma, os agentes podem retornar e fazer o trabalho. O agendamento pode ser marcado inclusive nos fins de semana. O telefone para contato é o (45) 3902-1769 ou o (45) 3902-1353. Desde o início das ações, apenas 218 cidadãos fizeram o agendamento.

REUNIÃO

Nesta terça-feira (18), representantes da Secretaria de Saúde, Território Cidadão, Sanepar, Associação de Moradores, Transitar/Cettrans, entidades, empresários e outros interessados, que fazem parte do Comitê Municipal de Combate ao Aedes, se reuniram na Vigilância em Saúde Ambiental para discutir ações de enfrentamento ao mosquito e traçar estratégias para que o Município não chegue ao status de epidemia. Dentre as ações discutidas, estão limpeza de terrenos, inclusive imóveis fechados, incentivo à população incorporar uma rotina de cuidados com os focos e até mesmo ações por meio das redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *