JESUS QUEBRA PARADIGMAS Lc. 02:01-14

No registro do nascimento de Jesus, Lucas narra dois pontos fundamentais sobre sua vida e obra. Primeiro, o Jesus histórico, humano, imanente; que é pontuado no recenseamento do Imperador Augusto de Roma e também no tempo em que Quirino governava a Síria v.1-2. Assim, ele passa oficialmente a ser um cidadão civil sujeito a todas as leis e preceitos de um governo terreno e temporal. Como cidadão civil, esse Jesus histórico quebra os paradigmas de uma sociedade preconceituosa, legalista e moralista, através de suas ações e do seu testemunho.Numa Cultura patriarcal, as mulheres passam a ter um protagonismo especial; passaram a ter voz e vez. Numa Cultura desigual economicamente, Jesus denunciou o acúmulo de riquezas e faz um convite pra uma vida simples e despojada. Numa Cultura de moralismo vazio, Jesus andou com pessoas de má fama, e disse: eu não vim para chamar justos, e sim pecadores (Mc. 2: 13-17). Numa Cultura baseada na vingança, Jesus ensinou o amor, inclusive o perdão aos inimigos. Numa Cultura profundamente hierarquizada, Jesus exaltou os humildes e disse que os últimos serão os primeiros. Numa Cultura adultocêntrica, Jesus disse que o Reino de Deus pertence às crianças. Numa Cultura que odiava os estrangeiros, Jesus andou por vários povos e culturas, e desconheceu fronteiras. Numa Cultura que tinha uma tradição religiosa rígida, Jesus democratizou e ampliou a experiência de Deus, retirando o poder do Templo e dos religiosos que queriam ser os gestores do sagrado. Numa Cultura em que a religião estava subordinada ao lucro, Jesus entrou no Templo, derrubou tudo, e disse que ali não era lugar de comércio. Numa Cultura onde as pessoas eram avaliadas pelo lugar onde moravam, Jesus nasceu numa periferia, viveu numa periferia e ficou numa periferia até o fim. Justamente por essas razões ele não teve a chance de envelhecer; ele foi prezo torturado e assassinado pelo estado, a pedido dos líderes religiosos em nome da lei e da ordem.

Segundo, o Jesus transcendente, anunciado por um anjo aos pastores: …não tenham medo! Eu anuncio para vocês a boa notícia, que será uma grande alegria para todo o povo: hoje na cidade de Davi, nasceu para vocês um salvador, que é o Messias o Senhor (v.9-11). Esse mesmo Jesus, que quebrou tantos paradigmas, revelando-se como um revolucionário subversivo, seria mais um herói, entre tantos outros na história; combatendo as mazelas, e os erros da sociedade, agindo com altruísmo em defesa dos mais fracos, se ele também não fosse o Messias. O Messias das profecias, o Cristo transcendente, que morreu numa cruz pelos nossos pecados, o Filho de Deus que ressuscitou dos mortos e nos legou uma vida eterna. Somente Deus, assumindo a natureza humana, mas sem pecar, poderia realizar essa obra DE RESGATE para nos conduzir de volta ao paraíso, onde o ser humano é o maior protagonista de toda a criação divina, pois foi criado à sua imagem semelhança.

Essa realidade aponta para a eternidade: … tudo o que Ele fez é apropriado para cada tempo. Também colocou o sendo da eternidade no coração do homem, mas sem que o homem possa compreender a obra que Deus realiza do começo até o fim (Ecl. 3:11).

Essa história vai além da história, tanto é que ela é contada por antes e depois de Cristo; revelando o amor e fidelidade de Deus por seus filhos e filhas.

Portanto celebremos com muita alegria mais um Natal, não deixando de lembrar-se do ANIVERSARIANTE que nos brinda com uma vida nova, restaurada e eterna, com muito amor e paz.

 IGREJA ANGLICANA EM CASCAVEL

Texto/Rev. Marialvo Rodrigues

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *